segunda-feira, 9 de Janeiro de 2012

Reitor da UJES aponta solução para a melhoria da qualidade do ensino



O reitor da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), Cristóvão Simões, disse hoje, segunda-feira, no Huambo, que a melhoria da qualidade do ensino passa pela formação adequada dos professores.

Discursando na cerimónia de tomada de posse de quatro novos membros da UJES, o responsável sublinhou que se não conseguirem ter professores de boa qualidade, a universidade será considerada medíocre e, consequentemente, relegada para o último lugar do ranking nacional, no concernente a qualidade dos quadros formados.


Isto quer dizer que temos que apostar cada vez mais na qualificação e capacitação dos nossos professores, com cursos de mestrado e doutoramento no país ou no exterior, pois a chave para o problema da maior ou menor qualidade dos nossos cursos e dos nossos formandos reside na pós-graduação dos nossos professores”, considerou.

Para Cristóvão Simões, todas as unidades orgânicas subordinadas à Universidade José Eduardo dos Santos devem estimular os seus quadros para uma maior diferenciação e capacitação académica e profissional.

Realçou que, nenhum quadro desta instituição universitária deve ser impedido de se diferenciar, seja sob qualquer pretexto.

Informou também que, este ano serão abertos novos cursos, os quais não mencionou, pressupondo, desta forma, mais quantidade e melhor qualidade de serviços.

Este ano será de grandes desafios, no tocante à consolidação da implantação das estruturas da Universidade em toda a 5ª região académica, bem como melhorar os serviços prestados à população estudantil.


Se, por um lado, temos de melhorar a qualidade dos serviços até agora prestados, por outro lado, teremos de continuar a crescer em quantidade para aumentar a oferta de cursos de graduação e de pós-graduação aos nossos estudantes”, sublinhou.

A Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), com sede no Huambo, foi criada em 2009no quadro do decreto 7/09 de 12 de Maio do Conselho de Ministros, que estabelece a reorganização da rede de instituições de ensino superior público, a criação de novas instituições de ensino superior e o redimensionamento da Universidade Agostinho Neto, até então a única universidade pública em funcionamento no país.

A UJES, afecta à 5ª região académica de Angola, abarca as províncias do Bié e Moxico. Controla as Faculdades de Medicina Humana, Ciências Agrárias, Medicina Veterinária, Economia e Direito, todas na província do Huambo, assim como o Instituto Superior Politécnico.

Na província do Bié, está em funcionamento a Escola Superior Politécnica, tal e qual na província do Moxico. A referida universidade tem uma população estudantil estimada em três mil discentes.

in ANGOP de 09.01.2012

Sem comentários:

Enviar um comentário